Diário de Bordo Aula #4: Curso YCL Brasil 2020 - Sustentabilidade e política no séc. XXI

Updated: 2 days ago



Quinta-feira, 07 de maio de 2020

Título da reunião: Sustentabilidade e política no séc. XXI

Sobre a aula: neste módulo, as palestrantes trouxeram diferentes perspectivas dos desafios políticos que dificultam o alcance de consenso e a efetividade de ações para proteção do meio ambiente e de enfrentamento das mudanças climáticas. As apresentadoras trouxeram pontos de vista complementares: a dinâmica de negociações em espaços nacionais e internacionais de tomada de decisão política.

Natalie Unterstell narrou sua experiência profissional nas negociações internacionais sobre meio ambiente, com principal destaque às Conferências das Partes (COP), da UNFCCC, às quais acompanhou de perto entre 2009 e 2015. A palestrante acompanhou as COP de 2009 e 2010 como observadora; em 2011, tornou-se uma das negociadoras do Brasil nestas conferências.


Dentre as experiências narradas, falou sobre bastidores das reuniões da delegação de negociadores brasileiros e como se dá a dinâmica desses eventos, que agregam, no mesmo espaço, ativistas, membros da sociedade civil, chefes de Estado, diplomatas, empresas e outros diversos atores relevantes no contexto político das mudanças climáticas. Um dos pontos de destaque de sua fala foi a restrição de manifestações da sociedade civil nas COP. Apesar disso, ressaltou que os indígenas sempre estiveram presentes nesses espaços, procurando manter posição nos assuntos mais relevantes ligados à proteção das florestas e de seus modos de vida.


Natalie apontou, ainda, que os anos que antecederam a COP21 e o Acordo de Paris foram o auge do multilateralismo ambiental, de modo que, após a assinatura deste tratado, ficou mais claro que os espaços de negociação das COP são insuficientes para enfrentar as mudanças climáticas. Todavia, reforçou que este ainda é um espaço importante de atuação na agenda climática. Por isso, indicou aos alunos alguns caminhos pelos quais podem se envolver no meio destas negociações.

Marina Helou trouxe a perspectiva da arena política nacional e local para o tema do meio ambiente e das mudanças climáticas. Destacou que atualmente, o assunto não está na pauta prioritária da agenda política e que os parlamentares brasileiros estão desconectados das principais demandas da sociedade.


Por conta disso, apontou que o executivo acaba assumindo papel relevante no debate e na ação sobre o tema. Para ilustrar a ideia, mencionou a Política Estadual de Mudanças Climáticas de São Paulo: embora o estado tenha sido pioneiro na elaboração de política sobre o tema, as metas estabelecidas na norma não foram cumpridas, esvaziando a relevância do instrumento, que tinha ótimo potencial.


Portanto, uma das principais frentes de atuação da classe política engajada e da sociedade civil pode ser no sentido de aumentar a efetividade de instrumentos que estão postos, mas não são efetivos. Além disso, a deputada narrou as frentes de atuação do seu mandato, de maneira a demonstrar modos como a classe parlamentar pode atuar em benefício do meio ambiente.

Lições finais da aula: as arenas de debate e ações políticas multilaterais, em escala local, nacional e internacional são espaços e instrumentos de fundamental importância para o enfrentamento das mudanças climáticas e da proteção do meio ambiente de modo geral. Mas nenhum processo político resolverá o problema de forma isolada. Atualmente, impõe-se, ainda, o desafio relacionado ao fato de que a pauta ambiental deixou de ser prioritária. Por isso, o ativismo no nível da sociedade civil se torna ainda mais relevante.

Sobre os palestrantes:


Natalie Unterstell: Ambientalista, negociadora e especialista em política pública. É especialista em políticas públicas de mudança do clima. Tem mestrado na Universidade de Harvard e graduação na EAESP-FGV. Foi negociadora do Brasil na Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, tendo liderado o tema de florestas. Ela atuou em governos federal (Presidência da República e Ministério do meio ambiente) e estaduais (Amazonas e Paraná), onde apoiou a construção de políticas públicas. Foi a primeira brasileira na Homeward Bound. É cofundadora do Agora!, membro da RAPS e da RenovaBR, todas iniciativas dedicadas ao aprimoramento da democracia no Brasil. Ativa em mídias sociais, é uma frequente articulista e comentarista na imprensa nacional e internacional.

Marina Helou: Deputada estadual em São Paulo pela Rede Sustentabilidade. Mulher, mãe, assumiu o mandato aos 31 anos. Estudou na escola Waldorf Rudolf Steiner, formou-se em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV) e tem especialização em negócios e sustentabilidade pela Fundação Dom Cabral/Cambridge University. Trabalhou oito anos na Natura com foco no desenvolvimento humano onde criou a área de diversidade da empresa. Também fundou a Rede Empresarial de Inclusão Social e o movimento Vote Nelas.


-----

Journaling realizado por André de Castro dos Santos, membro do Conselho Consultivo Acadêmico do YCL, geógrafo e doutorando no programa de Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Lisboa e em direito ambiental pela USP. Muito obrigada!

WANT TO BE A PART OF THE YCL NETWORK?

Interested in joining this dynamic global ecosystem? YCL is interested in hearing from you!  

  • By applying for one of our learning journeys

  • And help the YCL Network expand its reach

  • The day of the climate professional

  • And meet our YCL members and partners

Support youth leadership

in climate action

We are a global youth leadership network catalyzing climate professionals

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

LET'S CHAT!

If you have any question, please drop us a message.